O Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas conta com grupos de estudo e laboratórios de ensino e pesquisa que abrigam grupos de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), certificados pela Universidade de Brasília (UnB).


GRUPO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE GÊNERO (GREIG)

Coordenação Profa. Dra. Delia Dutra

O Grupo de Estudos Interdisciplinares sobre Gênero se constitui como espaço aberto de estudo e debate acadêmico sobre os mais diversos assuntos propondo uma reflexão desde a perspectiva crítica interdisciplinar desenvolvida no âmbito das Teorias Feministas e de Gênero. Fundado no dia 28 de novembro de 2014 por iniciativa de um grupo de estudantes de graduação das Ciências Sociais, o GREIG atualmente é formado por graduandos, pós-graduandos, egressos e docentes de diversas áreas de conhecimento. Tem sua sede no Centro de Pesquisa e Pós-graduação sobre as Américas – CEPPAC – da Universidade de Brasília. 


LABORATÓRIO DE ESTUDOS SOBRE AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS (LAEMI)

Coordenador Prof. Dr. Leonardo Cavalcanti

O LAEMI, reconhecido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) como Grupo de Pesquisa, dedica-se ao estudo do fenômeno migratório internacional nas Américas em múltiplas dimensões (social, econômica, cultural, familiar, laboral, política, jurídica, entre outras) e em diferentes escalas (nacional, regional e transnacional). A partir de uma perspectiva interdisciplinar e comparada promove pesquisas que analisam o impacto das migrações contemporâneas nas sociedades de origem, nos lugares de destino, nos espaços de fronteira e nos campos sociais transnacionais dos migrantes. O LAEMI está vinculado ao Centro de Pesquisa e Pós-Graduação sobre as Américas (CEPPAC) do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Brasília (UnB) e conta com a participaçao de alunos, professores e pesquisadores do CEPPAC e do ICS.

Atualmente, o LAEMI abriga o Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra). O observatório foi instituído a partir de um termo de cooperação entre o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), por meio do Conselho Nacional de Imigração (CNIg) e a Universidade de Brasília (UnB), por meio do CEPPAC.

O Observatório tem como meta ampliar o conhecimento sobre os fluxos migratórios internacionais no Brasil, mediante estudos teóricos e empíricos, e apontar estratégias para a inovação social de políticas públicas dirigidas as migrações internacionais. Para realizar essa tarefa propõe-se analisar os três cenários que afetam o Brasil na atualidade: a imigração internacional; a emigração brasileira para outros países e os projetos migratórios de retorno dos emigrantes brasileiros.

O Observatório está sob a coordenação científica do Professor Leonardo Cavalcanti, do Centro de Pesquisa e Pós-graduação sobre a Américas (CEPPAC-UnB), e conta com uma ampla equipe de pesquisadores em diferentes níveis, pós-doutorado, doutorado, mestrado e graduação.


logolaepimini.jpg

LABORATÓRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM MOVIMENTOS INDÍGENAS, POLÍTICAS INDIGENISTAS E INDIGENISMO (LAEPI)

Coordenador: Prof. Dr. Cristhian Teófilo da Silva

O LAEPI tem por objetivo promover projetos de pesquisa e de extensão, reunir grupos de pesquisadores, profissionais, pós-graduandos e graduandos indígenas e não-indígenas da UnB e outras universidades brasileiras e estrangeiras, e estimular a produção científica nas Ciências Sociais por meio de artigos, livros, material didático impresso ou eletrônico e material audiovisual abrangendo comunidades tradicionais, grupos étnicos e povos indígenas no continente americano.

Para isso promoverá reuniões de estudo, seminários de alcance local, regional e internacional e estimulará a participação em congressos científicos na área das Ciências Sociais com vistas a ampliar e qualificar a produção científica indígena, não-indígena e intercultural em torno dos problemas sociais, movimentos etnopolíticos, reivindicações territoriais e por autonomia, conflitos socioambientais, dentre outros.


lapeda

LABORATÓRIO DE PESQUISA SOBRE ESTADO E DESENVOLVIMENTO NAS AMÉRICAS (LAPEDA)

Coordenadores: Prof. Dr. Moisés Villamil Balestro; Prof. Dr. Luiz Guilherme de Oliveira; e Prof. Dr. Camilo Negri.

O LAPEDA tem por objetivo promover projetos de pesquisa, debates, seminários e parcerias com outros grupos e instituições de pesquisa voltados para o estudo da relação entre Estado e Desenvolvimento, em temas como Variedades de Capitalismo, Estado de Bem-Estar Social, Economia Política, transformação industrial, desenvolvimento tecnológico e políticas públicas para o desenvolvimento.

O LAPEDA reúne pesquisadores, profissionais, da UnB e de outras universidades brasileiras e estrangeiras, e estimular a produção científica e interdisciplinar (Economia Política, Sociologia Econômica, Ciência Política, Geografia e Administração) por meio de artigos em revistas científicas, livros impressos e eletrônicos, white papers com recomendações de política, relatórios de pesquisa entre outros.

O LAPEDA atua nas linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados sobre as Américas (CEPPAC): a) Desenvolvimento, Globalização e Regionalização nas Américas e b) Sociedade, Estado e Política nas Américas. O LAPEDA também inclui o Grupo de Estudos Comparados em Sociologia Econômica (registrado no CNPQ desde 2011 e coordenador pelo Prof. Dr. Moisés Villamil Balestro) e suas respectivas atividades.


LABORATÓRIO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE ACESSO À JUSTIÇA E DIREITOS NAS AMÉRICAS (LEIJUS)

Coordenadores: Profa. Dra. Rebecca Lemos Igreja; Profa. Dra. Simone Rodrigues Pinto e Prof. Dr. Jacques de Novion

No propósito de alcançar o fortalecimento do Programa de Pós-Graduação em Estudos Comparados sobre as Américas do Centro de Pesquisa e Pós-Graduação das Américas (CEPPAC/UnB), o Laboratório de Políticas Multiculturais e Interculturalidade foi reformulado e passará a se chamar Laboratório de Estudos Interdisciplinares sobre Acesso à Justiça e Direitos nas Américas (LEIJUS). O LEIJUS promoverá estudos e pesquisas interdisciplinares e comparativas, tendo como foco os seguintes eixos temáticos:

a. Direitos humanos e Políticas de Reconhecimento
b. Pluralismo jurídico
c. Justiça de transição, memória, verdade e reparação d. Democratização e/ou acesso à justiça
e. Políticas de Segurança nas Américas

O LEIJUS estará vinculado mais precisamente à linha de pesquisa sobre Acesso à Justiça e Direitos nas Américas, no entanto, seus eixos temáticos contemplam uma interface significativa com as outras linhas do programa.

A coordenação tríplice enriquece o laboratório, pois garante que a interdisciplinaridade seja realmente promovida, mediante a conjunção de diferentes perspectivas de pesquisa como perspectivas mais históricas, políticas, jurídicas e/ou antropológicas, que fundamentam as diferentes formações acadêmicas dos coordenadores. Essa conjuntura permite que o âmbito de discussão e análise seja ampliado, de forma a contemplar as várias vertentes teóricas e metodológicas dos estudos sobre a justiça e o Direito.

Além dos coordenadores, o LEIJUS estará aberto à participação de todos os alunos do CEPPAC e de outras unidades da UnB que queiram discutir o problema do acesso à justiça e do Direito, de forma a subsidiar e contribuir para os avanços de suas pesquisas nos mais diferentes campos do saber.


LABORATÓRIO DE ENSINO E PESQUISA COMPARADA SOBRE AS AMÉRICAS

Coordenação Prof. Dr. Camilo Negri

O Laboratório de Ensino e Pesquisa Comparada sobre as Américas é um laboratório de ensino e pesquisa que permite desenvolver o uso sistemático de tecnologias avançadas de informática nas Ciências Sociais e ser uma referência na formação de mestres e doutores qualificados para tanto. O laboratório é composto por 12 microcomputadores para os alunos e um computador para o professor. Todos os computadores são de última geração com aplicativos específicos para análise de dados qualitativos (NVivo7) e quantitativos (SPSS), rede local wireless, e agora monitor de 54 polegadas com alta definição. Os equipamentos são acomodados em bancadas com espaço para duas pessoas em cada um, o que permite, além da utilização dos computadores para pesquisas, o uso da sala para aulas com capacidade para 18 estudantes.